Como ensinar a geração Z

A teoria geracional foi descrita pela primeira vez pelos historiadores americanos William Strauss e Neil Hove; tornou-se amplamente conhecida após o lançamento de Generations, em 1991. No trabalho dos historiadores, uma geração é uma coleção de pessoas nascidas em um período de cerca de 20 anos que compartilham uma era histórica comum, crenças comuns, padrões de comportamento, que se sentem parte de uma geração.



No momento, a geração extrema é Z ou centenários. Seus representantes nasceram junto com a distribuição em massa de gadgets e a Internet barata de alta velocidade, que determinaram seus pontos de vista sobre o mundo. A opinião sobre a geração de centenários está apenas sendo formada, agora eles são creditados com características positivas como criatividade, integridade, vontade de aprender continuamente, audácia e vivacidade de pensar, idéias sóbrias sobre a vida, falta de maus hábitos. A fraqueza dos representantes da geração Z é a falta de motivação, preguiça, incapacidade de se concentrar em um assunto e um desagrado pela leitura.



Segundo várias fontes, aqueles que nasceram antes de 1995 e depois de 2005 são considerados centenários. Essa dispersão está associada a diferentes datas de difusão de tecnologia em cada país. De qualquer forma, os centenários são uma grande parte dos estudantes de hoje, que são e serão os principais heróis do processo educacional nos próximos anos. Identificamos algumas das características dos representantes da geração Z. Quais métodos de treinamento podem atrair a atenção dos nativos digitais?  



Fotos – novo texto

Representantes da geração Z estão acostumados a se comunicar usando memes e emojis. Portanto, faz sentido incluir no processo de aprendizagem blocos nos quais as informações são apresentadas graficamente. Por exemplo, os adolescentes acham difícil se concentrar em páginas de texto sólido. O véu do texto pode ser diluído com infográficos ou uma imagem brilhante que esteja de acordo com o significado do texto. Uma longa palestra pode ser “interrompida” ensinando ou ilustrando o vídeo.



Adaptação a um mundo acelerado

A geração Z será forçada a aprender constante e rapidamente, alternar entre áreas de atividade relacionadas. Os professores devem promover o amor pelo aprendizado e desenvolver o pensamento de “engenharia” nos alunos, para que possam se adaptar às novas profissões e indústrias. Agora você já pode ensinar habilidades que o ajudarão a navegar em um mundo em rápida mudança. Por exemplo, estudar tópicos não apenas de livros didáticos, mas sintetizar informações de vídeos, podcasts e fontes escritas.

Recompensa pelo sucesso

Os alunos da geração Z estão acostumados a constantemente estimular e concluir várias tarefas simultaneamente. Longas palestras monótonas são um fardo para eles. Nesse caso, é provável que o aluno se enterre no dispositivo, comece a se comunicar com seus companheiros ou mergulhe em seus pensamentos. A atenção dos jovens estudantes será atraída pela alternância de métodos educacionais. Você pode tentar aplicar o método de design de construção de classes. Uma lição começa com 10 minutos de informações, seguidos de uma tarefa e depois outros 10 minutos de conversa, por exemplo, uma discussão dos resultados. Os alunos da geração Z precisam ficar ocupados para não espalhar o pensamento pela árvore. 




Jogos não apenas as crianças brincam

A indústria de jogos provou: os jogos não são apenas entretenimento para mocassins, mas uma maneira de aprender a pensar taticamente e estrategicamente, um exemplo dos quais são as competições de eSports. Os jogos são utilizados há muito tempo no treinamento, especialmente na educação empresarial. A Wharton, a melhor escola de negócios americana, tem um laboratório inteiro que está desenvolvendo simuladores de casos on-line oferecidos por professores. Os jogos são a maneira mais compreensível de chamar a atenção e motivar os representantes da geração Z, que estão acostumados a incentivos e recompensas – parte integrante de qualquer jogo. “A gamificação é talvez a única oportunidade de ganhar a atenção da geração Z”, disse Anna Popova, vice-diretora do Departamento de Ciência Política da Universidade Estadual de Moscou, fundadora do PRM Lecture Hall.




Siga a tecnologia

Os representantes da geração Z estão acostumados à comunicação de texto que ocorre em uma fração de segundo, até o e-mail para eles é do século passado. Um professor moderno deve pensar em como se tornar mais acessível no espaço de informações. Alguns professores criam bate-papos em grupo nas redes sociais e mensageiros instantâneos para criar um ambiente em que os alunos podem se ajudar, e o próprio professor responde perguntas sempre que possível. Nas universidades, todos os professores geralmente substituem as consultas pessoais pelas comunicações do Skype para economizar tempo e se comunicar de uma maneira mais familiar à geração digital.

Não é necessário inverter o processo educacional em prol dos nativos digitais da geração Z. A educação, como antes, foi projetada para fornecer conhecimento ao aluno de maneira lógica e estruturada. Porém, maneiras tradicionalmente fortes de ensinar disciplinas escolares e universitárias não serão afetadas pela proximidade de práticas projetadas para tornar o aprendizado divertido e motivador. Além disso, no treinamento, não apenas o processo é importante, mas também o resultado final.

10 tendências educacionais que vale a pena ver agora

Mesmo uma esfera conservadora como a educação não pára. Ele coexiste com formatos tradicionais, testados ao longo de décadas, e com abordagens modernas projetadas para interessar a um estudante moderno.

Atualmente, muitas vezes surge não apenas a pergunta “O que ensinar?”, Mas também “Como?”. Devido ao impacto da tecnologia, a consciência de uma pessoa mudou, agora é mais difícil para ele se concentrar, ele precisa de mais incentivos para atrair a atenção e as informações factuais não são o monopólio do professor, podem ser encontradas na Internet em uma fração de segundo. Esses e outros fatores não podem mais ser ignorados; eles estão pressionando por mudanças no aprendizado.

No artigo, reunimos 10 principais tendências em educação, o que já faz sentido colocar em prática.

Aprendizagem combinada

O aprendizado on-line está se disseminando e se tornando o tópico de projetos nacionais, mas ainda não é capaz de substituir a educação em tempo integral. O conceito de aprendizado misto envolve uma combinação de cursos tradicionais e online. Por exemplo, as palestras podem ser realizadas off-line, para que o palestrante tenha a oportunidade de dialogar com o público e esclarecer pontos difíceis, e a lição de casa é verificada remotamente. Ou vice-versa: uma palestra é gravada em vídeo e são realizados na platéia seminários nos quais há uma oportunidade de demonstrar conhecimento e fazer perguntas a um professor. O conceito de aprendizado misto combina as melhores práticas existentes no aprendizado online e offline.

Classes invertidas

Esse modelo de aprendizado sugere que os alunos passem a maior parte do tempo em trabalho independente. Os alunos estão envolvidos em atividades do projeto, onde interagem ativamente entre si, tentando resolver tarefas práticas juntos. Durante a aula, os alunos podem usar serviços on-line e o professor dedica mais tempo à interação pessoal com cada um deles.

Remodelação de espaços de treinamento

Novas formas de aprendizado envolvem a atividade do aluno e a interação com a tecnologia moderna. As filas tradicionais de cadeiras e as superfícies de escrita voltadas para o departamento são coisa do passado. Agora, o local de estudo deve ser móvel, facilitar a colaboração. A cadeira está localizada no centro da platéia, mesas ovais com cadeiras livremente móveis são colocadas em torno dela. As tabelas podem ser equipadas com tablets interativos, que exibem o texto que o professor costumava escrever no quadro-negro. E trabalhar juntos em projetos e apresentações requer a instalação de telas e displays grandes.

Programação – Nova Alfabetização

Todos os dias, cresce a necessidade de especialistas que possuem não apenas conhecimentos de informática, mas a capacidade de escrever código simples. Esse conhecimento é necessário não apenas pelos programadores, mas também por pessoas de outros campos de atividade, por exemplo, economia, biologia, marketing. Aprender a programar no estágio inicial pode ser simples e compreensível, graças a ferramentas visualmente orientadas, como Raspberry PI, Scratch e LegoNXT. Os alunos podem desenvolver protótipos de novos produtos, sites, aplicativos e jogos, que serão o primeiro e empolgante passo na programação.

Gamificação

É melhor lembrar o que causa emoções ou interesse vivo. Mesmo com o último, pode ser difícil manter a motivação. Mas um objeto brilhante e incomum definitivamente não escapará da atenção. Esta é a natureza humana, respondemos a fortes incentivos. Transição de nível para nível, prêmios em cada nível, classificações, pontos de experiência, personagens assistentes – esses elementos capturam a atenção do jogador e o incentivam a ações adicionais na história. O aprendizado tradicional parece um processo interminável que leva o aluno a um objetivo abstrato. Pode ser dividido em vários objetivos pequenos, para os quais são dadas recompensas simbólicas. Assim, o aluno verá o verdadeiro progresso do aprendizado. Ele desfrutará de todas as novas conquistas, o que será uma forte motivação para continuar seus estudos. O processo educacional pode parecer um jogo online,

Desenvolvimento de habilidades pessoais

Dificilmente é possível ter sucesso na vida apenas com conhecimentos de matemática, linguagem, estudos sociais e ciências naturais. O mundo real exige que uma pessoa domine habilidades sociais. Responsabilidade, liderança, autocontrole, honestidade, capacidade de cooperação são qualidades que são prestadas atenção nas melhores instituições de ensino.

Mudança de nota

Como os fatores sociais e econômicos redefinem quais habilidades os trabalhadores precisam, as escolas precisam repensar como identificar, medir e demonstrar o sucesso acadêmico e as habilidades dos alunos, como criatividade e trabalho em equipe. Graças às ferramentas de análise de dados e desenvolvimentos no campo da aprendizagem on-line, as instituições educacionais são capazes de analisar informações sobre o desempenho dos alunos e a eficácia dos métodos de ensino. Nos cursos online e combinados, os dados coletados podem mostrar como as ações dos alunos são refletidas em seus resultados de aprendizagem. No futuro, as informações poderão ser coletadas em um documento mais informativo do que os diplomas e certificados de educação atuais.

Portfólio virtual

Com a proliferação de cursos on-line, tornou-se possível obter um número ilimitado de diplomas e certificados adicionais. Com o tempo, todas essas conquistas podem ser reunidas em um único portfólio digital, como um meio confiável de demonstrar habilidades e conhecimentos.

Concentre-se na prática

Nas instituições de ensino, a experiência prática que os alunos só podem obter ao interagir com o mundo real ainda é ignorada com sucesso. Instituições educacionais avançadas resolvem esse problema por meio de parcerias com organizações locais. Os alunos podem obter uma experiência real lá, o que será uma boa ajuda em atividades futuras.

Repensando a função do professor

No século 21, é mais importante não onde você estuda, mas com quem. A autoridade de um professor às vezes é mais forte que o status de uma organização educacional. Essa tendência é perceptível em novos campos de conhecimento em desenvolvimento ativo. O professor deixa de ser um especialista em sua matéria, agora cria um ambiente educacional através do qual os alunos aprendem não apenas conhecimentos, mas também habilidades criativas e tecnológicas. Os professores oferecem aos alunos a oportunidade de construir seus próprios caminhos de aprendizado e formar o hábito de aprender ao longo da vida. Os programas de treinamento de professores devem incluir alfabetização digital para que os educadores possam usar a tecnologia no processo educacional.

Algumas dessas tendências já estão implementadas nas melhores instituições de ensino, mas, para a implementação da maioria, serão necessários tempo, tecnologia e recursos. É difícil para as grandes organizações educacionais mudar seus métodos de ensino a cada 5 anos, de acordo com o espírito da época. Esse processo é mais fácil em cursos educacionais, que são flexíveis devido à burocracia menos burocrática, um fluxo grande e de curto prazo de estudantes. Os futururologistas acreditam que a educação tradicional não atenderá às necessidades de um mundo em rápida mudança; conhecimentos e habilidades relevantes podem ser obtidos como resultado de cursos de treinamento de curta duração. Instituições de ensino superior fornecem uma boa base teórica para o desenvolvimento geral, mas uma pessoa recebe habilidades específicas por conta própria ou em programas especializados de curto prazo. O futuro já chegou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *