Como encontrar a sua vocação: 5 métodos testados por psicólogos

Dizem que é difícil determinar uma vocação imediatamente após a graduação. Mas acontece que as pessoas não sabem o que querem, não apenas aos 18, mas também aos 30, 40, 50. Se você escolher uma profissão futura, deseje mudar seu campo de atividade ou escolher um hobby – esse material é para você. Nele, consideramos 5 estudos importantes no campo da psicologia que ajudarão na busca de um chamado.

O trabalho agradável nem sempre é uma vocação.

Se você acha que chamar significa apenas um trabalho agradável, então é forçado a decepcionar, não é assim. Um grupo de cientistas liderados por John Yakimovich, da Columbia University, dividiu os assuntos em dois grupos: aqueles que concordaram com a afirmação de que o hobby vem dos negócios agradáveis ​​de uma pessoa e aqueles que acreditavam que a inspiração surge da adesão aos seus ideais. No primeiro caso, a inspiração pode ser considerada a força motriz, nos valores e crenças da segunda vida.

Os pesquisadores descobriram: pessoas que acreditavam que a paixão vinha de um trabalho agradável, menos frequentemente se sentiam completamente satisfeitas com seu trabalho e mais frequentemente queriam desistir do que aquelas que estavam convencidas de que a inspiração surge do trabalho em um negócio importante e significativo.

Uma possível explicação para os resultados reside no fato de que o prazer é um estímulo ilusório e superficial que pode funcionar por um mês ou um ano, mas não é adequado para objetivos de longo prazo. Pelo contrário, trabalhar o que não é indiferente é capaz de manter a motivação e o interesse por um longo tempo.

Falta de ligações é melhor do que planos não realizados

Cientistas da Universidade da Flórida dividiram várias centenas de pessoas em três grupos: aqueles que não têm vocação; aqueles que têm um chamado e o seguem; e aqueles que têm um chamado, mas não conseguem realizá-lo. Os pesquisadores estudaram a carreira, a satisfação com a vida, a saúde e os níveis de estresse dos sujeitos. Verificou-se que os participantes com uma vocação insatisfeita apresentaram os piores resultados em todos os aspectos.

Os cientistas concluíram que o chamado é uma vantagem apenas se for realizado. Se não encontrar sua expressão, poderá ser mais prejudicial do que a ausência de chamada.

Paciência e trabalho trarão tudo

A psicóloga da Universidade da Pensilvânia, Angela Duckworth, argumenta que a perseverança desempenha um grande papel na construção de uma carreira de sucesso. Em seu livro “Força do caráter: o poder da paixão e da perseverança”, ela escreve: “Ser persistente é cair sete vezes e permanecer oito vezes”. Muitos estudos mostram que honestidade, disciplina e trabalho duro estão diretamente relacionados ao sucesso na carreira.

Duckworth enfatiza que a compreensão do objetivo final transforma qualquer atividade em uma vocação. É esse detalhe importante que é característico de muitas pessoas teimosas e bem-sucedidas.

A diligência transforma trabalho em vocação

Ótimo se você encontrar um chamado. Mas e se não houver? A mesma Angela Duckworth afirma que o chamado não virá do nada. É necessário agir para encontrá-lo: tentar a si mesmo em diferentes áreas, responder a desafios e provações. Às vezes, você precisa investir no trabalho atual, para que haja entusiasmo e, por trás dele, uma compreensão do seu chamado.

Uma pesquisa de oito semanas com empresários alemães, publicada em 2014, revelou o seguinte sistema: uma atitude mais apaixonada seguiu um trabalho mais árduo uma semana antes da pesquisa. Em um estudo subsequente, foi apresentada uma hipótese de que o efeito energético dos esforços investidos aumentaria se as tarefas fossem escolhidas livremente e o progresso fosse palpável.

Ligar não é uma obsessão

É mais provável que uma pessoa tenha sucesso e encontre harmonia no trabalho se o trabalho a inspirar. Nessa situação, uma coisa a temer: quando a inspiração é substituída pela obsessão.

O psicólogo canadense Robert Wallenard e colegas publicaram um estudo no qual enfatizam a diferença entre paixão harmoniosa e obsessão.

A obsessão é caracterizada pelo fato de que a paixão está fora de controle, e o humor e a auto-estima de uma pessoa dependem diretamente dela. Essa condição energiza, mas ao mesmo tempo pode levar ao cansaço e à ansiedade.

Qualquer hobby se enche de energia, melhora a eficiência do trabalho e o humor, se estiver sob controle, ajuda a mostrar as melhores qualidades e não ocupa todo o lugar da vida.

Na busca de uma vocação, o principal é: tentar coisas novas, não se decepcionar se algo não deu certo pela primeira vez, e atrair força e atenção para as atividades em andamento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *