4 etapas para ajudar a superar a preguiça e começar a aprender

Damos desculpas pela preguiça quando não fazemos o que devemos ou queremos. Por exemplo, você está interessado em conversar com pessoas de outros países, mas seu vocabulário é limitado, portanto você não pode expressar tudo o que deseja. 

Seria lógico começar aprendendo novas palavras, o que não é tão difícil, considerando o grande número de simuladores online no mercado. Mas você nem tenta fazer o download de pelo menos um deles ou já o baixou, mas ainda não começou a praticá-lo. Por que isso está acontecendo?

Pesquisas no campo da psicologia mostram: nossas decisões dependem diretamente da motivação, porque a maior parte do cérebro humano trabalha em antecipação a uma recompensa. 

Por dias a fio, fazemos algo ou, pelo contrário, desistimos de ações, calculando inconscientemente se valem a pena nossos esforços, se receberemos compensação suficiente por eles. Se você é como a maioria das pessoas, é difícil se levantar às 5 da manhã para treinar. Se lhe prometerem um milhão para um aumento precoce, você se separará de uma cama com um desejo maior.

Existem maneiras de se forçar a fazer lições, tarefas de trabalho, fazer tudo o que você precisa sem colocá-lo na caixa do outro lado. Abaixo, damos quatro etapas do  material Psychology Today , que ajudará a superar a preguiça e a obter sucesso em qualquer negócio.

Etapa 1. Declare-se um vencedor antes do tempo

O primeiro passo para aumentar a motivação é imaginar o seu sucesso. Banal, mas como você se comunica consigo mesmo – isso importa. Se você pensa: “Não vou conseguir”, é improvável que tente mudar a situação atual de maneira positiva. 

Esperar pelo fracasso não pode ser uma fonte de inspiração. Somente a fé no sucesso ajudará a resolver os problemas e completá-lo. Se seus objetivos são tão grandes que você duvida da possibilidade deles, modere seu impulso e defina uma tarefa mais viável.

Etapa 2. Concentre-se nos benefícios

O benefício de atingir a meta é a recompensa que você receberá como resultado de determinadas ações. Por exemplo, você se sentirá mais confiante em viajar se aprender mais palavras em inglês. Quando você escolhe: executar uma ação ou não, você subconscientemente coloca na mesma escala o esforço potencial e, por outro – o benefício. Não espere até o último.

Todos os dias, você promete aprender 10 novas palavras a caminho do trabalho ou em casa, mas o desejo de relaxar enquanto assiste notícias, memes e fotos supera os benefícios que aguardam no futuro.

A saída da situação é focar nos benefícios de uma ação benéfica o mais cedo possível, para que os impulsos momentâneos não superem suas intenções. Pense por que você define esse objetivo, como sua vida mudará se você o alcançar e se sentir melhor.

Escreva esses argumentos em um pedaço de papel, pendure-os no espelho, em uma porta de entrada ou coloque-os em uma tela inicial e releia-os sempre que encontrar esta lista.

Etapa 3. Antecipe os obstáculos

O caminho para alcançar a meta nunca é sem nuvens. Depois de decidir sobre seus objetivos, pense no que pode impedi-lo de alcançá-los. Anote todos os obstáculos e encontre possíveis soluções.

Não quer pagar pelo aplicativo – encontre um grátis ou use o bom e velho sistema com cartões de papelão. As palavras não são lembradas de forma alguma – vá para o curso ou encontre um tutor. Cuidado para não poder usá-los em contexto – encontre serviços para se comunicar com falantes nativos ou inscreva-se em um clube de conversação.

É mais fácil lidar com as dificuldades se você tiver um plano para superá-las.

Etapa 4. Desenhe um plano para atingir a meta

Estudos mostram que a visualização aumenta a motivação e ajuda a alcançar objetivos. É verdade que isso funciona quando você descreve não apenas o resultado, mas o processo na sua totalidade. Comece com o primeiro passo que você pode dar, desenhar ou descrever os obstáculos e maneiras de superá-los e, no final, retratar a conquista do resultado e a recompensa.

A preguiça, se não estiver associada a distúrbios fisiológicos e psicológicos, costuma ser uma desculpa para o medo do fracasso. Ninguém alcança sucesso na escola sem altos, baixos e freios. Cada estágio é necessário e frequentemente útil. Por exemplo, se o progresso educacional começar a desacelerar acentuadamente – talvez a essa altura o cérebro assimile o que foi aprendido anteriormente. Não desista com antecedência, faça um plano para atingir a meta, a fim de se inspirar nela.

Como atrair estudantes após a preguiça das férias

Durante as férias, as crianças esquecem de estudar, mas um bom professor sabe como usar esse tempo para motivar seus alunos. No artigo, mostramos como o período após as férias pode afetar o desempenho e o bem-estar geral dos alunos, além de fornecer várias maneiras de ajudar você a se envolver nos dias úteis da escola.

As consequências das férias

Uma longa pausa na escola afeta o desempenho dos alunos: é provável que os alunos retornem à escola com lentidão e não estejam prontos para começar a aprender novamente.

Existem várias maneiras de entrar em contato com os alunos. Planejando cuidadosamente as aulas, sem esquecer a abordagem criativa, você pode ter certeza de que mesmo intervalos tão longos entre as aulas não violam o currículo e o humor dos alunos.

Comece do zero

Ao elaborar o currículo, tente planejar as aulas para que projetos importantes sejam concluídos antes de os alunos saírem para o feriado. Portanto, você não precisa gastar muita energia lembrando o material que foi coberto dias e semanas atrás. Em vez disso, você pode iniciar um novo tópico que não exija repetição de material.

Incentivar o auto-estudo

Quanto mais longas as férias, mais estudantes têm a chance de descobrir novas oportunidades de auto-estudo. Tente descobrir o máximo possível sobre as atividades na cidade e informe os alunos sobre elas antes de sair de férias ou mesmo durante as férias. Você pode fazer isso em um grupo nas redes sociais ou em um canal no messenger.

Ao apoiar ou até melhorar o conhecimento adquirido durante o estudo, os alunos retornam após o feriado preparado para receber novos conhecimentos.

Não carregue alunos desde os primeiros dias

Os professores geralmente exigem retornos fortes nas aulas imediatamente após as férias, mas essa não é a abordagem correta. Apesar de as crianças retornarem à sala de aula relaxadas e cheias de energia, é muito importante não pressioná-las desde os primeiros dias e não exigir altos resultados.

Comece as aulas com tarefas simples que ajudarão você a se envolver gradualmente no processo educacional. As lições de forma lúdica ajudarão com facilidade a recuperar o material esquecido durante as férias. Depois de concluir tarefas simples, os alunos estarão prontos para passar para tarefas mais complexas.

Crie novas tarefas

Apresente um novo tópico de uma maneira interessante. Testes intermináveis ​​podem minar a motivação e reduzir o entusiasmo dos alunos. Tarefas e projetos incomuns apoiarão os alunos em boa forma e não o deixarão entediado, ao mesmo tempo em que seguirão os padrões de teste e um currículo regulamentado.

Se nada lhe vier à mente, pense em seus hobbies e interesses, talvez eles o inspirem à idéia original. Tente elaborar tarefas que ajudarão os alunos a desenvolver habilidades práticas.

Estabeleça metas de curto prazo

Os primeiros dias após as férias são um pesadelo para os estudantes. Alguns meses parecerão uma eternidade se consistirem apenas em testes e testes complexos. Para impedir que os alunos se desesperem, bem como interessá-los em novos materiais, eles devem estabelecer metas de curto prazo.

Isso pode incluir tarefas de casa ou aprimorar habilidades básicas, como compilar anotações ou compreender a leitura. Uma viagem organizada à natureza com a turma também servirá como um bom incentivo que incentivará os alunos nos primeiros dias após as férias.

Obviamente, ninguém diz que você deve abandonar completamente as metas de longo prazo, mas, durante o período imediatamente após as férias, você deve trabalhar com metas de curto prazo até que seus alunos estejam prontos para tarefas mais difíceis.

Analise seu trabalho

Após um longo intervalo, é importante não apenas prestar a devida atenção aos alunos, mas também não esquecer de avaliar seu trabalho. Quando não estiver ocupado com nada, pense nos métodos de ensino usados. Quais deles tiveram sucesso? Preciso modificá-los ou alterá-los?

Se você chegou à conclusão de que são necessárias mudanças, o início de um novo ano ou trimestre escolar é o momento certo para implementá-las.

Longas pausas no estudo podem causar dificuldades e benefícios: por exemplo, servem como uma ocasião para refletir sobre o trabalho realizado e fazer alterações no processo educacional. Mantendo-se organizado e desenvolvendo novas estratégias de aprendizado, você ajudará os alunos a se adaptar gradualmente à vida escolar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *